Qual é a sua?

quinta-feira, novembro 15, 2007

Julio o quê?

Um dos escritores que faz absurdos com minha imaginação é Julio Cortázar. Sinto que preciso tê-lo em minha vida com cada vez mais constância. O cara tem a manha de escrever textos altamente visuais, daqueles que a cada frase lida, você consegue vislumbrar até a iluminação da cena. Ok, ok, confesso ter uma visão cinematográfica demais das coisas, mas basta um pequeno trecho para minha tese ganhar mais força.

"... y lo que llamamos amarnos fue quizá que yo estaba de pie delante de vos, con una flor amarilla en la mano, y vos sostenías dos velas verdes y el tiempo soplaba contra nuestras caras una lenta lluvia de renuncias y despedidas y tickets de metro."
 
 
(Sim, eu precisava colocar primeiro na língua original, tem uma sonoridade melhor, que já faz entrar no clima...)
 
 
"... e aquilo a que chamávamos o nosso amor era talvez eu estar de pé diante de você, com uma flor amarela na mão e você com duas velas verdes, enquanto o tempo soprava contra os nossos rostos uma lenta chuva de renúncias e de despedidas e passagens de metrô."


Uma de minhas mortes escolhidas é lendo um texto dele... Júlio Cortázar, uma dessas faltas que a gente sente daquilo que nem viveu...



Obs.: Trecho retirado de O Jogo da Amarelinha (e/ou Rayuela, no original)..
.
.

Nenhum comentário: