Qual é a sua?

segunda-feira, novembro 26, 2007

Menina das Estrelas

Por incrível que pareça, neste post vou escrever como garota que às vezes esqueço que sou...

Existe
uma diferença entre planetas e estrelas. É o que mostra Ziraldo, escritor e ilustrador de vários livros destinados ao público juvenil. Na maioria de suas obras o escritor ocupou-se em desvendar a alma de seus meninos maluquinhos (ou não). Agora ele se aventura no universo feminino.

A idéia de escrever sobre meninas, na verdade, não estava no roteiro. Mas vindas de Ziraldo, boas idéias também surgem em horas de descuido. Num encontro com jovens leitores na cidade de Vitória, o escritor comentava sobre seu livro “O Menino da Lua”. Questionado sobre a ausência de uma menina entre os amigos de Zélen, personagem principal da obra, uma garota disse que as meninas eram das estrelas, por isso, não podiam participar do livro sobre os planetas. Foi, então, que Ziraldo criou o livro, um trabalho comovente e delicado, exatamente o que se espera dele.


Impossível não se apaixonar pela história que tem um clima de poema, com o autor evitando fixar-se num personagem, ao mesmo tempo que nos remete a meninas de todos os tempos. "Menina das Estrelas" é uma declaração de amor. É o espanto e a constatação de como são especiais e únicas as meninas.


Meninas que crescem, mas que neste ir ao encontro da juventude e do mundo adulto, levam algo muito especial. Pequenas delicadezas, a capacidade de apartar o bem do mal, de entender o que há em volta.


É um livro repleto de humor, tão envolvente quanto a Alice (aquela do Lewis Carrol, que segue o coelho amalucado até a 'toca', encontra o chapeleiro, enfrenta a rainha orgulhosa, toma chá, desafia o perigo, sente medo e mantém o espírito de aventura até estar novamente à sombra de uma árvore).


Os desenhos também estão ótimos, com meninas lindas, espevitadas, doces, espertas, românticas... Quem é menina, mesmo que já bem crescidinha, sabe direitinho como é quando a boneca, que era sua filhinha, vira apenas um detalhe do seu quarto de menina.


Meninas crescem, mas cada dia um pouco. E continuam sendo uma estrela, mergulhando em sonho, num faz-de-conta que prepara cada uma para jornadas futuras.


Este livro pode e deve ser lido pelas meninas de hoje e pelas ex-meninas de ontem, porque entre uma e outra não há apenas a diferença dos anos, há o coração feminino. E o humor, os sonhos, que podem ser em demasia, mas ajudam a construir nossos desejos, ter a chave do que virá...


"... É preciso ter cuidado com o que se diz às meninas, pois, como já lhes contei, muitas vezes elas choram por coisas bem pequeninas. Meninas não aprenderam ainda a bem calcular a quantidade de lágrima que merece cada dor..."

Um comentário:

Anônimo disse...

ALGUEM TEM O RESUMO PREGUIÇA DE LER HUSAUHSAUHHU'