Qual é a sua?

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

E já estamos no fim...

... da primeira década dos anos 2000..
.
.Primeira parte do post removida, por ter sido escrita em intenso estado de insanidade.
.
.
.
.
De lá pra cá, grandes momentos, altos e baixos. Conquistas, derrotas, perdas... Lembro de cada detalhe como se fosse hoje
2009 e, conforme o tempo passa, mais claro torna-se pra mim o Carpe Diem, que só faz se completar com o Tempus Fugit, uma das frases mais certas que já ouvi na vida... Aproveite o dia, o tempo voa...
.Esse ano não começa com tamanha felicidade como foi há 9 anos, mas não faltam perspectivas.
.Aliás, pensei em algo agora... O que eu considerava a maior das felicidades há nove anos, hoje não é lá tudo isso... Como a vida pode nos tirar essas coisas? A gente vai envelhecendo e nosso horizonte se amplia (não acontece assim pra todos, é fato), e é aí que nossa santa inocência se perde... Inocência no sentido do infantil mesmo... Quando se é mais jovem as coisas menores (mas não menos importantes) fazem mais sentido.
É uma coisa engraçada o ciclo/círculo/circo da vida... Vou tentar explicar melhor dando dois exemplos: A filha de um amigo, com 4 anos, chega perto de mim com um brilho nos olhos, me chamando como se não pudesse esperar nem mais um segundo e diz: "Vem ver que lindo esse sapo".
Segundo exemplo: Uma paciente, onde trabalho, 78 anos, carinhosamente chamada de "vó" por mim, falando das modernidades de hoje em dia, me pergunta: "Será que dá pra encontrar mesmo as pessoas pela internet?". E eu, respondo que às vezes sim, e pergunto o motivo. Então ela: "Porque eu queria encontrar um rapaz que namorei quando era jovem, acabei casando com outro, mas ele me disse que jamais se casaria com ninguém".
.Como é doce a ingenuidade! A garotinha acreditando na beleza, e a vovozinha no amor...
.Então quer dizer que é assim, nascemos agraciados com o dom da ignorância, aí crescemos e nos é revelada a peça que a vida nos pregou: Passamos longos anos rindo pra não chorar (sentido literal), correndo atrás do vento (sentido figurado - para alguns nem tanto, vale dizer), oscilando entre momentos miseráveis de fiasco total e alguns outros de pleno contentamento que servem para manter acesa a chama de que um dia você será feliz... Até que um dia essa chama se torna brasa. Aí você envelhece e o que acontece? O retorno à ingenuidade!
.
.
T.S.Eliot definiu bem:
"Ao final de nossas longas explorações chegaremos novamento ao lugar de onde partimos e o conheceremos então pela primeira vez."
.
.
Então, que nesse novo ano, você tenha tranquilidade para viver, que o dinheiro venha como resposta saudável do trabalho que o faz acordar cedo todos os dias, que suas apostas não sejam no outro mas em você mesmo, que a sua felicidade dependa do que você fizer e não do que fizerem com você, que domingos sejam mais do que churrascos gordurosos, que ninguém mude sua vida sem que você consinta, que seus vizinhos gostem de boa música. E, acima de tudo, que você seja muito feliz com a futura pessoa na qual está se transformando.
.
.
.

Nenhum comentário: