Qual é a sua?

terça-feira, fevereiro 15, 2011

.
.
Eu sou sim, a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das obrigações, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser má e tirar a cobranças do meu peito. Que acha todo mundo feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio de plástico, meia bomba. E espera impaciente ser salva por uma metade meio interessante que me tire finalmente essa sensação de perna manca quando ando sozinha por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser boa, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim?
.
.

Um comentário:

Sotnas disse...

Olá Necessidade Premente, Tati, desejo que tudo esteja bem contigo!
Houve um tempo em que me senti assim, e quase me tornei igual aos que me faziam sentir assim. Mas, analisando sem julgar, percebi que algumas pessoas não deixaram de ser hipócritas e mesquinhas, mas vive alardeando o contrário, e em seu egoísmo concentrado faz todos ao redor sofrer.
Mas não adianta desesperar que não é um problema somente do nosso conhecido país do futuro não! E também somente se transforma quem pretende!
Interessante texto. É bom demais passar por aqui e ler as postagens tão prementes quanto necessárias! Desejo a vocês e todos ao redor infinita felicidade, obrigado pela amizade abraços e até mais!